Archive for the ‘gaveta’ Category

Thierry Henry o jogador versátil

junho 16, 2008
 

CAMPEÃO MUNDIAL EM NOVENTA E OITO, CAMPEÃO DA EUROCOPA EM DOIS MIL. ESSES SÃO APENAS ALGUNS TÍTULOS DO VASTO CURRÍCULO DO FRANCÊS THIERRY HENRY.

DESDE NOVENTA E SETE, ANO EM QUE FOI CONVOCADO PELA PRIMEIRA VEZ PARA A SELEÇÃO FRANCESA, HENRY SOMA QUARENTA E QUATRO GOLS EM NOVENTA E OITO JOGOS É O JOGADOR COM MAIOR NÚMERO DE GOLS EM TODA HISTÓRIA DO FUTEBOL FRANCÊS.

ATUALMENTE DEFENDE AS CORES DO BARCELONA DA ESPANHA, MAS FOI NO ARSENAL SEU ÚLTIMO CLUBE, QUE O FRANCÊS FEZ O NOME NO FUTEBOL MUNDIAL. LÁ FORAM TREZENTOS E SESSENTA E QUATRO PARTIDAS, SENDO DUZENTOS E VINTE E SEIS GOLS. UM APROVEITAMENTO IMPRESSIONANTE.

COM O STATUS DE TER SIDO CONSIDERADO DUAS VEZES O SEGUNDO MELHOR JOGADOR DO MUNDO PELA FIFA, HENRY É PEÇA CHAVE PARA A SELEÇÃO FRANCESA NESSA EUROCOPA.

 

Por : Anderson Menatto

 

Anúncios

Lucatoni esperança Italiana.

junho 16, 2008

LUCA TONI, ATUALMENTE DEFENDE AS CORES DO BAYERN DE MUNIQUE. CENTRO-AVANTE NATO, ELE SEMPRE ESTÁ NO LUGAR CERTO PARA MANDAR A BOLA PRO GOL. O OPORTUNISMO É UMA DE SUAS PRINCIPAIS VIRTUDES. OUTRA VIRTUDE, É O CABECEIO. DIFICILMENTE DESPERDIÇA QUANDO O ASSUNTO É BOLA AÉREA. NA SELEÇÃO ITALIANA MARCOU QUINZE GOLS EM TRINTA E TRÊS PARTIDAS. EXCELENTE APROVEITAMENTO. FOI PEÇA CHAVE NA CONQUISTA ITALIANA DA COPA DO MUNDO DE DOIS MIL E SEIS. AGORA, ESPERA AJUDAR A SQUADRA ZURRA A LEVANTAR PELA SEGUNDA VEZ A EUROCOPA. TÍTULO QUE NÃO VÊM DESDE MIL NOVECENTOS E SESSENTA E OITO….

 

 

Por: Anderson Menatto

Eurocopa

junho 7, 2008

Eurocopa

Disputada desde 1960, a Eurocopa é o maior campeonato de seleções de futebol depois da Copa do Mundo. O torneio, que acontece de quatro em quatro anos, teve a sua primeira edição realizada na França, idealizada por Henri Delaunay, então secretário da Federação Francesa de Futebol.A primeira seleção a se tornar campeã européia foi a União Soviética, que bateu na final a equipe da Iugoslávia. Nas quartas-de-final, os soviéticos deveriam enfrentar os espanhóis, mas estes não jogaram a partida por ordem do generalíssimo Franco, ditador de direita da Espanha, que impediu sua seleção de entrar em campo contra o país comunista.

A maior vencedora da Eurocopa é a Alemanha, que conquistou três edições – em 1972, 1980 e 1996. A França, vem logo em seguida, com dois triunfos, em 1984 e 2000. Itália e Espanha ficaram apenas uma vez com o título e a Inglaterra, inventora do futebol, jamais ganhou uma Eurocopa.

Ano – Organizador – Campeão
1960 – França – URSS
1964 – Espanha – ESPANHA
1968 – Itália – ITÁLIA
1972 – Bélgica – ALEMANHA Fed.
1976 – Iugoslávia – CHECOSLOVÁQUIA
1980 – Itália – ALEMANHA Fed.
1984 – França – FRANÇA
1988 – Alemanha – HOLANDA
1992 – Suécia – DINAMARCA
1996 – Inglaterra – ALEMANHA
2000 – Bélgica/Holanda – FRANÇA
2004 – Portugal – GRÉCIA

Por José Ricardo
Editado por Dimas Coppede

Box gaveta: Laboratório de novos talentos do futebol

junho 5, 2008

Quem pensa que os times do interior são fracos está muito enganado, muitos dos craques que hoje fazem sucesso pelo Brasil ou pelo mundo já jogaram por algum time de menor expressão, a maioria de times do interior como por exemplo: Alex Silva zagueiro do São Paulo que começo na Ponte Preta passou pelo Rennes da França e hoje joga no time do Morumbi, outro exemplo: Rodrigo Tabata que jogou pelo Paulista de Jundiaí e hoje joga no time do Santos.

Isso já uma prova de que times do interior ou ” times pequenos” são grandes laboratório para a revelação de novos talentos no futebol Brasileiro.

Isso tudo é muito bom para o nosso futebol só tem um pequeno porém, em alguns casos em que o jogadores desses clubes nem chegam a se destacar pelo futebol nacional e vão direto para o exterior onde acabam fazendo sucesso por exemplo Daniel Alves que hoje joga pelo Sevilla da Espanha e que jogou pelo Juazeiro Social Clube, Bahia e foi transferido para o Sevilla em 2003 onde em 2007 foi campeão da Copa da Uefa e na sequência foi convocado por Dunga para a Seleção Brasileira.

Por: Anderson Menatto

Editado por Eduardo Ferraz

Comportamento – Estresse infantil – um problema cada vez mais comum

junho 1, 2008

O estresse é um estado cada vez mais comum entre as pessoas,  atualmente são vários fatores que levam uma pessoa a isso, o mais freqüente são problemas no serviço, que levam a pessoa a ficar nervosa, se irritar mais facilmente.
No mundo moderno isso não está acontecendo só com os adultos, já começa a causar efeitos até nas crianças. Hoje as crianças também passam por um certo tipo de estresse, não pelos mesmos motivos, mas pode ocorrer tanto em situações novas como troca de escola, quanto por cobranças de terceiros e até ameaças à vida, entre outros fatores.
Quando a criança tem proporcionada em casa, carinho, atenção, amparo e sem nenhuma preocupação com a vida adulta os níveis de estresse baixam chegando a zero, mas devido a correria das grandes cidades, não é sempre que a criança encontra esse ambiente em sua casa. Muitas escolhem ficar isoladas do resto das crianças, brincando com jogos eletrônicos, já que os pais não os proporciona  muita atenção, em outros casos é comum os pais colocarem elas desde pequenas em competições o que gera em cima delas uma pressão muito alta para que vençam e não apenas para se divirtam. Nem sempre as crianças querem algumas coisas que os pais os proporcionam e as conseqüências dessas atitudes acabam chegando. Há dois tipos de sintomas, os orgânicos que são: suor frio, taquicardia, aumento da pressão arterial, dor de cabeça, barriga e pernas, mal-estar abdominal com vômitos e diarréia, insônia e sonolência no dia seguinte. E os psicológicos dificuldade para se concentrar e aprender, agressividade, dificuldade no relacionamento com os amigos e os familiares, falta de interesse pelas atividades das quais gostava, medo incomum, indiferença e tendência ao isolamento, há casos mais graves que a criança tem depressão.
Quando diagnosticado esses sintomas a criança deve ser levada ao pediatra. O tratamento abrange a criança e a família e  consiste numa espécie de “psicoterapia” na qual todos interagem para superar suas dificuldades. Caso tenham doenças psiquiátricas, finalmente, o pediatra a encaminha a um especialista.

Por Marcos Vinicius Galiza

Editada por Eliane Santos

Ronaldo o maior goleador das Copas

maio 29, 2008

 

Na Copa do Mundo da FIFA de 2006, Ronaldo Luis Nazário de Lima se tornou o maior goleador de todos os Mundiais, com 15 gols. A partida que consagrou o fenômeno, foi contra Gana, pelas quartas-de-final, ao receber passe perfeito do meia Kaká, ele ficou cara-a-cara com o goleiro Richard Kingson, e em uma linda jogada de corpo seguida de uma pedalada o atacante fez o gol que entrou para a história das Copas.

 Nem o maior jogador de todos os tempos conseguiu está marca de tamanha importância no cenário futebolístico. O Rei, Pelé, marcou 12 gols em Copas. A frente dele está o francês Just Fontaine com 13 e o Alemão Gerd Müller com 14.

 Fontaine marcou seus 13 gols em apenas uma Copa, Suécia 1958. O alemão Muller assinalou 10 dos 14 gols nas Copas de 1970, no México, e quatro na Copa da Alemanha de 1974. Já Ronaldo, marcou em três Copas consecutivas. No Mundial de 1998, na França, no da Coréia e Japão, em 2002 e na Alemanha, em 2006. Abaixo segue uma lista com todos os gols do artilheiro Ronaldo,  nos Mundiais.

 

15º- 27 de junho de 2006; Brasil 3:0 Gana: 1 gol

13º e 14º- 22 de junho de 2006; Japão 1:4 Brasil: 2 gols

11º e 12º- 30 de junho de 2002; Alemanha 0:2 Brasil: 2 gols

10º- 26 de junho de 2002; Brasil 1:0 Turquia: 1 gol

9º- 17 de junho de 2002; Brasil 2:0 Bélgica: 1 gol

7º e 8º- 13 de junho de 2002; Costa Rica 2:5 Brasil: 2 gols

6º- 8 de junho de 2002; Brasil 4:0 China: 1 gol

5º- 3 de junho de 2002; Brasil 2:1 Turquia: 1 gol

4º- 7 de julho de 1998; Brasil 1:1 Holanda (4:2 PSO): 1 gol

2º e 3º- 27 de junho de 1998; Brasil 4:1 Chile: 2 gols

1º- 16 de junho de 1998; BRA 3:0 Marrocos: 1 gol

 

Por Eduardo Ferraz de Oliveira

Editada por Silvia Fachim

 

 

 

 

 

Matéria Gaveta: Esquadrão do Interior

maio 29, 2008

Hoje em dia é muito popular você torcer por um time conhecido que já ganhou vários titulos como, por exemplo, Corinthians, Flamengo, Cruzeiro, entre outros. O que muita gente desconhece são os times do interior que disputam outros campeonatos, por outras divisões, como o Ferroviária, o Mirassol, o Rio Claro ou o Atibaia. São vários os times que geralmente passam dificuldades por falta de apoio financeiro de sua própria diretoria e vivem de cotas da federação paulista, que por sua vez repassa os direitos de transmissão e de arrecadações de suas partidas, variando de acordo com a competição em que o time está disputando. 

Geralmente essas cotas para os clubes do interior são bem pequenas, o que faz com que os mesmos recorram aos patrocinadores, o que explica a quantidade de patrocinadores que possuem algum espaço em suas camisas.  Sempre um patrocinador master (que tem maior espaço de divulgação) é aquele que repassa mais verba para o clube.  Alguns clubes chegam a ter sete ou oito patrocinadores estampando seu uniforme, seja na parte frontal da camisa, nas mangas e até na bermuda, você nem distingue mais o escudo, o distintivo do clube. O Mirassol é um deles, o Sertãozinho outro. O Grêmio Catanduvense abusa, frente e verso.

Há times que por falta de dinheiro acabam pedindo licença à Federação Paulista e ficam um tempo sem competir em nenhum campeonato. Um exemplo é o Tupã Futebol Clube, que pertence à quarta divisão e por problemas financeiros pediu licença sem previsão para volta, caso na consiga nenhum empresário para sanar suas dividas.

Para que um clube do interior consiga subir às divisões principais é preciso “ralar” bastate, e contar com a sorte para que os empresários estejam dispostos a colaborar com algum incentivo financeiro.

 

Por: Anderson Menatto

Editado por: Daniela Sartori – Esportes

Separar é preservar

maio 22, 2008

Comprar refrigerante em lata, chiclete, ou desperdiçar uma quantidade gigantesca de papel é atitude comum para muitas pessoas. Mas a pergunta que fica no ar é: “para onde vai todo o material usado nessas embalagens?”. Passaram anos até que todo esses detrituos se decomponham na natureza.

O consumo desenfreado e inconsciente que a maior parte da população pratica, vem como agravante nesse quadro.

Segundo a Comlurb ( Companhia Municipal de Limpeza Urbana), um chiclete demora em média 5 anos para se decompor completamente, enquanto que o alumínio leva de 80 a 100 anos.

Estes números assustadores representam uma realidade difícil de aceitar, mas que pode ser mudada se houver uma profunda conscientização por parte das pessoas e das empresas, no que diz respeito à coleta seletiva.

Este é um método de reaproveitamento de materiais, que normalmente são jogados na natureza sem a menor cautela. Os benefícios oferecidos são muitos, como: menor redução de florestas nativas, economia de energia e água, ajuda na prevenção de enchentes e auxilia na geração de emprego e renda.

Embora esse método ainda não seja bem divulgado no Brasil, é uma tendência para daqui a alguns anos se tornar um recurso indispensável nas casas e empresas do país.

 

Para maiores informações acesse:

http://www.lixo.com.br

 

Por Patrícia Baptista e Vanessa Zanelato

EDITADO: EVANILDON DIAS