Archive for the ‘conceito’ Category

Jornalismo Ambiental

abril 24, 2008

Chama-se Jornalismo Ambiental a especialização da profissão jornalística nos fatos relativos ao Meio Ambiente, à Ecologia, à fauna, à flora e à Natureza de um determinado lugar.

As primeiras coberturas específicas de Meio Ambiente surgiram após a Segunda Guerra Mundial, quando a Ecologia ganhou força como tema de relevância mundial, inicialmente no Primeiro Mundo e, na década de 1980 e principalmente após a conferência Rio 92, no Terceiro Mundo.

Como na maior parte das especializações jornalísticas, as fontes de Jornalismo Ambiental são divididas entre protagonistas (movimentos ambientalistas, ecologistas, entidades que cometem crimes ambientais), autoridades (ministros, secretários, diretores de órgãos públicos), especialistas (pesquisadores, biólogos, zoólogos, botânicos, agrônomos) e usuários (população). Especificamente, podem ser fontes úteis para o jornalista da área os membros do Partido Verde local.

O jornalismo ambiental denuncia abusos à natureza causada pelos homens e relata fatos que ocorrem na natureza, como o tremor que ocorreu na cidade de São Paulo devido ao abalo que se deu no litoral.

Bruna Prado Dias

O que é Meio Ambiente?

abril 24, 2008

Jornalismo ambiental não é só uma editoria que aborda assuntos do meio ambiente. É uma editoria que assume compromissos com o seu planeta, com o seu povo e sua época, denunciando abusos ambientais e buscando apresentar alternativas para um consumo consciente dos recursos ambientais.

 

O jornalismo de meio ambiente lembra-se das datas importantes relacionadas ao assunto, buscando, através delas, evidenciar assuntos que pedem imediata atenção, incluindo-os nas agendas setting da mídia.

 

Apesar de haver um efeito colateral – o efeito de febre pelo meio ambiente, a ampla divulgação do aquecimento global – esse tipo de alerta serve para conscientizar a população da emergência que as práticas predatórias da natureza pedem.

O jornalismo cultural

abril 9, 2008

Jornalismo Cultural é um tipo de jornalismo que busca difundir a cultura entre as pessoas. O Jornalismo Cultural é uma ferramenta importante quando se busca discutir por exemplo, os rumos da arte em uma sociedade, suas tradições populares e etc.

O Brasil tem manifestações culturais muito ricas, em parte por seu vasto território e também pelas influências de muitos povos do mundo como portugueses, africanos, libaneses, japoneses, sem falar na rica cultura indígena oriunda do próprio país.

No Brasil, a maior parte dos jornais dedica à Cultura um caderno, no qual se pode encontrar lançamentos de filmes, informações sobre exposições, informações sobre locais históricos entre outros.

Entretanto falta hoje em dia uma reflexão crítica sobre o que é considerado cultura no Brasil. A identidade cultural do brasileiro confunde-se com modismos passageiros e, como fruto disso, em diversas ocasiões perde-se o referencial do que é de fato importante e causa impacto em uma sociedade no que se refere à cultura, e o que é passageiro e dispensável.

O jornalista torna-se nesse contexto o responsável por separar o joio do trigo e não se corromper pelo que a mídia em geral considera cultura. A responsabilidade do profissional nesse sentido é imensa.

Também se deve considerar a evolução da cultura graças a tecnologia.

A internet por exemplo, surgiu como uma grande produtora de cultura em massa. Com suas músicas independentes lançadas na rede e a acessibilidade à informação quase que instantânea, ela tornou-se habitual e indispensável na vida do homem moderno, portanto mais um elemento de observação.

O Jornalismo Cultural pode ser considerado antes de mais nada uma ferramenta de inclusão, já que não há distinção de classe social, crença ou raça no momento de se escrever uma matéria. A noção do belo, do emocionante, do intrigante, deixa de ser propriedade de poucos e passa a estar ao alcance de muitos. Daí o papel integrador do jornalista que fala sobre cultura: A oportunidade de apresentar um mundo novo e cheio de possibilidades a seus leitores. A cultura não é propriedade de algumas pessoas, mas o retrato de uma sociedade e como tal, deve estar ao alcance de todos os cidadãos.

Sarah Sizenando

Editoria Meio Ambiente

abril 7, 2008

Conscientizar a população sobre os desafios a serem superados para preservarmos o meio ambiente através da informação, difusão, fomentação e construção do conhecimento sócio ambiental são alguns objetivos das principais editorias de meio ambiente.

Desvalorizadas por muito tempo, as informações sobre o meio ambiente ocupavam um pequeno espaço na mídia. Devido a crescente preocupação com os impactos causados pelos homens no meio ambiente, as notícias ganharam uma editoria e espaço em cadernos especiais. Hoje, democratizar as informações e promover o acesso à educação ambiental são alguns desafios enfrentados pelas editorias de meio ambiente.

Mas não pára por aí: os desafios ecológicos misturam conhecimentos científicos e políticos. E o resultado desses desafios é de suma importância para as futuras gerações humanas que enfrentarão problemas como a escassez de alimentos e água potável, além de fenômenos climáticos.

A demasiada exposição das conseqüências dos problemas ambientais e as soluções que ainda podemos adotar não causam os efeitos esperados sobre a sociedade. Ainda há pessoas que usam e abusam dos recursos naturais sem se importarem com a escassez. Se a sociedade continuar agindo sem se preocupar com o impacto das suas ações sobre o meio ambiente, o planeta passará por mudanças brutais e irreversíveis.

Por Tatiane Ramos

Editoria de Esportes: O Avanço Histórico

abril 3, 2008

Quando falamos de esporte no meio jornalístico, sempre tem aquela pessoa que teima em alimentar um preconceito antigo, que na verdade nunca deveria ter existido, sobre a importância dessa editoria.

A história não mente e vários jornalistas de longa data estão trabalhando para confirmar esta tese. Jornalistas de política e economia, principalmente, sempre se consideraram mais importantes em relação a outras editorias. Além disso, sempre trataram o jornalismo esportivo como algo menor do que a função exercida por eles, jornalistas políticos e economicos.

Isso começou a mudar quando o Brasil chegou a grandes conquistas, em esportes variados. Porém o ponto principal para essa mudança aconteceu em 1958, na Copa do Mundo de Futebol, realizada na Suécia. O Brasil conquistou de forma espetacular a competição e de quebra revelou ao mundo um garoto de 17 anos, que futuramente se tornaria o maior de todos, Edson Arantes do Nascimento, o Pelé.

O futebol que já era paixão nacional, e se firmou mais ainda depois não só dessa Copa, mas com as de 62 e 70, também conquistadas pelo país. Com a enormera da população por esse esporte, as grandes mídias cediam cada vez mais espaço para o futebol. E com issso mais profissionais surgiam nesse meio e a credibilidade da profissão crescia rapidamente.

Hoje, não existe mais esse preconceito, pelo menos de forma declarada, e a força do esporte nos meios de comunicação cersce cada vez mais. Existem vários canais de televisão destinados somente a esporte, e claro, o futebol continua sendo a principal fonte de renda dessas emissoras.

Texto Sobre A Editoria De Cotidiano

abril 3, 2008

A editoria de Cotidiano em si em um jornal é uma parte mais leve do que algumas outras como política e economia, porém, não deixa de ter a sua importancia dentro do conjunto, nela são tratados os assuntos mais variados e geralmente com algm interesse público.
Nossa editoria trata dos fatos mais importantes do cotidiano da cidade, ou melhor de regiões próximas à faculdade. Procuramos trazer algumas pautas que possam chamar a atenção por sua originalidade, curiosidade ou utilidade pública também.
Já nos reunimos para conversar sobre agumas pautas e chegamos a algumas sugestões interessantes. Uma delas foi a de falar sobre os deficientes visuais na faculdade e mostrar no que ou como o grupo acadêmico no geral se adapta para dar-lhes um bom ensino. Conseguimos alguns caminhos para estas informações na direção e em outras faculdades Unip.
O maior problema em decidir as pautas seria a importância, como o que é mais importante agora, o terremoto ou o caso da morte da menina Isabella, deve se tomar cuidado com as escolhas de pauta, principalmente as temporais.

escrita por Hector
editada por Leandro

Charges

abril 3, 2008

  Qual a importancia das charges para o jornalismo? Na minha humilde opinião, o ditado “uma imagem vale mais que mil palavras” explicaria bem essa importancia.
  Em uma charge você pode em poucos traços explicar de forma simples, e até bem humorada, certo fato ou situaçao atual. O comum hoje é você encontrar charges com desenhos de mosquitos, o que leva a entender que há alguma relaçao com a epidemia de dengue que está ocorrendo no Brasil.  A dengue não é algo engraçado, mas com um toque especial do chargista, o mosquitinho listrado pode virar um godzila atacando o presidente Lula, por exemplo, o que traria um pouco de humor num assunto tão sério e preocupante.
   A charge e o jornalismo são parte de um mesmo sistema de circulação de informações, sem jornalismo charges não teriam nexo, e sem a charge o jornalismo não teria senso de humor. Para mim, esses desenhos sarcásticos sempre me fazem ler mais para entender o porquê dessa imagem ter sido criada.

leandro m. ywata

Editado Por: Hector Félix

O que é Jornalismo Econômico?

abril 3, 2008

Por Luciana Matiazzo e Tancredo Júnior

O Jornalismo Econômico diz respeito à atividade jornalística centrada na cobertura e debate de temas afetos à economia, negócios e finanças e tem uma larga tradição em nosso País. As primeiras notícias vinculadas sobre Economia surgiram na França, no século XVII, A principio as pessoas publicavam notícias que pudessem auxiliar banqueiros e comerciantes europeus com os seus empreendimentos. No início da imprensa industrial, no entanto, estas editorias tinham destaque tímido e publicavam matérias de interesse restrito em seus boletins, como cotações de moedas estrangeiras, valores de gêneros alimentícios, informes sobre falências e concordatas, entre outras. Alguns jornalistas que trabalham nesta área também são bastante prestigiados, muitas vezes constituindo-se , no caso dos colunistas, em espaços nobres dos veículos, dada a sua enorme audiência: Luis    O Jornalismo Econômico diz respeito à atividade jornalística centrada na cobertura e debate de temas afetos à economia, negócios e finanças, e tem uma larga tradição em nosso País. As primeiras notícias vinculadas sobre Economia surgiram na França, no século XVII. A princípio, eram publicadas notícias que pudessem auxiliar banqueiros e comerciantes europeus com os seus empreendimentos. No início da imprensa industrial, no entanto, estas editorias tinham destaque tímido e publicavam matérias de interesse restrito em seus boletins, como cotações de moedas estrangeiras, valores de gêneros alimentícios, informes sobre falências e concordatas, entre outras. 

    Alguns jornalistas que trabalham nesta área são bastante prestigiados, muitas vezes projetando-se, no caso dos colunistas, em espaços nobres dos veículos; dada a sua enorme audiência. Luis Nassif , Joelmir Beting e Lilian Witte Fibe, entre muitos outros, figuram nesse cenário. 

    O jornalismo econômico, quer seja  praticado nos jornais de grande circulação, como Folha de S. Paulo, O Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil e O Globo, ou nos regionais, simplesmente excluiu os já socialmente excluídos. Raras são as matérias que abordam as condições de vida, os sonhos e os atos dos sem-teto, sem-escola, sem-família, sem-saúde, enfim… Sem cidadania. A realidade econômica e social, fruto da má-distribuição da renda; tão visível nas ruas de nossas cidades, parece não ter força para chegar até as páginas dos diários. Porém,  para os iniciantes nesse ramo tão lucrativo do jornalismo, são necessários sólidos conhecimentos didáticos. Assim, o texto fluirá de maneira compreensível para todas as classes sociais, fugindo do “famigerado” economês.

 

 

Editado por Felipe Camargo

O que é Jornalismo Ambiental?

abril 3, 2008

O que é Jornalismo Ambiental? Chama-se Jornalismo Ambiental a especialização da profissão jornalística nos fatos relativos ao Meio Ambiente, à Ecologia, à fauna, à flora. Quando os fatos se referem à Natureza de um determinado lugar, é considerado Jornalismo Cientifico.

Dentre esses, podemos exemplificar alguns programas da tv aberta brasileira, que ultiliza-se em boa parte de sua programação, do jornalismo ambiental, como: Globo Rural, Repórter Record, Globo Ciências e Globo Repórter – esses são produtos que dentre as diversas matérias, dão destaque às matérias ligadas ao meio ambiente; as matérias científicas.

As primeiras coberturas específicas de Meio Ambiente surgiram após a Segunda Guerra Mundial, quando a Ecologia ganhou força como tema de relevância mundial, inicialmente no Primeiro Mundo e posteriormente na década de 1980. Mas foi após a conferência Rio 92, no Terceiro Mundo, que o segmento ganhou destaque significativo.

Jornalismo Ambiental inclui a cobertura de eventos (desmatamentos, cataclismas, iniciativas ecológicas, crimes ambientais, etc.), as instituições que geram produtos e fatos (ONGs, universidades, empresas que agem sobre o Meio Ambiente), as políticas públicas para a área (órgãos públicos, ministérios, secretarias, institutos de proteção ambiental e biológica) e o dia-a-dia do setor.

Quando se fala em Jornalismo Ambiental é de fundamental importância (ainda mais que em determinados assuntos), o uso de fotos,  porque em grande parte dos casos a imagem é o fator principal do conteúdo, sendo que o texto é inserido para complementar. Ex: uma matéria de uma queimada que desmata a floresta amazônica. Neste caso, sem a imagem o texto perderia um pouco o sentido e o impacto.

Os principais veículos dedicados exclusivamente ao tema no Brasil são portais da internet.

Por: Vania da Silva Alves

Evanildon Dias dos Santos

 

Editado por Vanessa Zanelato