Archive for fevereiro \27\UTC 2008

A era da tecnologia no jornalismo

fevereiro 27, 2008

O texto relato sobre a era da informática no jornalismo hoje em dia. O jornalista q não está imerso a evolução não tem futuro, a informação da internet é uma informação rápida, porém deve ser apurada pois pode ser muitas vezes falsa.O profissional de comunicação tem que ter conhecimento de todas as mídias, tanto as tradicionais quanto as tecnologicas é muito importante lidar com a tecnologia, na era digital os profissionais estão cada vez mais de olho se as pessoas estão se especializando, o mercado está cada vez mais de olho em profissionais qualificados. Muitas vezes objetividade e precisão acabam prejudicando pelo fato da rapidez em publicar um furo de reportagem, que muitas vezes são fatos não concretos.

A questão é que quanto mais elementos se quer usar mais lendo fica a produção do material jornalístico.

Hoje em dia um bom jornalista é aquele que está atento a novas tecnologias, e também antes de pegar uma noticia na internet ele apura os fatos para não haver nenhum engano.

Por Bruna Prado

Comentário do texto “Você sabe o que é jornalismo on line?”, de Bia Mansur

A era digital versus o profissional de comunicação

fevereiro 27, 2008

A era digital surgiu como uma solução para os problemas inerentes ao tempo, tudo a partir do surgimento das novas tecnologias passou a ser rápido, tira-se uma foto, cinco minutos e ela já está publicada em um blog ou site, aconteceu, rapidamente através de e-mails, ou noticiários da TV, rádio e Web todos já estão sabendo, enfim, tempo mais do que nunca passou a significar dinheiro. O grande questionamento que se faz em torno do tema tecnologia é se os profissionais já existentes no mercado darão conta do recado, pois o jornalista que antes só produzia o texto, passou a fotografar com sua câmera digital, fazer pesquisas na internet ou em acervos digitais da empresa, formatar e corrigir os textos que produz, publicá-los no site, entre outras atribuições; o mercado não parou para esperar o profissional se encontrar no meio do furacão da era digital, e por isso os profissionais tem de se virar como podem, o problema? Vários profissionais de comunicação já não possuem mais a especialização em determinadas áreas, ele acaba no estigma do bom brasileiro, que dá jeito em tudo, faz um pouquinho de cada mas não domina o todo. É por essas e outras que a tecnologia passaram a ser um grande vilão na vida de muitos profissionais, pois realmente é muito difícil equilibrar a qualidade com a rapidez que o mercado exige, mas engana-se quem acredita que só de pão o homem viverá, pois ao contrário que muitos imaginam, ser bom naquilo faz é ainda um grande diferencial, especializar-se é tão necessário como acompanhar os avanços, por isso seja ágil, mas principalmente seja competente.

Por Luciane Albertin

27/02/2008

Comentário do texto “Você sabe o que é jornalismo on line?”, de Bia Mansur

Comentário sobre o texto

fevereiro 27, 2008

Participar de diversos fóruns de discussão, Editar áudio digital e fazer podcast, Fazer mashups, mapas e modelos 3D com Google Maps, Google Earth e Google SketchUp. É claro que todas estas características são importantes para o profissional que deseje trabalhar com mídia eletrônica, e de uma forma geral, para todos os profissionais de jornalismo, que poderão ter uma maior versatilidade em seu ambiente de trabalho e, em consequência disto, terão obviamente mais chances de trabalho no mercado, que já está tão competitivo. Mas será que estas habilidades estão mesmo a disponibilidade de todos? Será que todo jornalista deve obrigatoriamente nos dias de hoje, já que vivemos na era da informação, ter todas estas características tão desejadas? E por que alguns jornalistas não se adaptam tão facilmente às mídias digitais?

No entanto estas habilidades não surgem da noite para o dia. É necessário um contato frequente com as mídias do meio eletrônico, e pricipalmente uma certa paixão pelas novas tecnologias, uma curiosidade pelo que é novo.

É muito importante nos dias de hoje que os profissionais de comunicação, e principalmente os de jornalismo, estejam “antenados” com todos os tipos de mídia. A internet por exemplo é onde todos os tipos de informação circulam, e inclusive como cita a jornalista Bia Mansur, há um excesso de informação, no qual fica cada vez mais difícil filtrar o joio do trigo.

Na era da informação em que vivemos torna-se imprecindível um contato mínimo com as novas mídias eletrônicas, mas este profissional tão procurado, especialista e profundo conhecedor de determinados assuntos, este torna-se raro, e talvez por isso seja tão valorizado.

Thiago Benevides (que não tem a mínima habilidade com o meio digital)

A era da rapidez das informações

fevereiro 27, 2008

Não é de hoje que jornalistas sabem o quanto é fundamental o hábito da leitura. Desde que os candidatos no vestibular se dispõem a cursar jornalismo sabem que ler bastante é fundamental ,porém nem sempre isso é colocado em prática.

È fácil perceber o quanto é aparente o desinteresse pela leitura pelos estudantes e até pelos profissionais.

Adquirir o hábito de leitura é fundamental na hora de filtrar o grande numero de informações que chegam a todo o momento. Informações essas que são publicadas á cada minuto principalmente na internet. A forma desvairada com que são “lançadas” na web e a. Obcecação pela atualização constante, deixa cada vez mais de lado a preocupação com a qualidade do conteúdo, priorizando o furo da matéria antes da concorrente, deixando de lado a apuração necessária, comprometendo a credibilidade da empresa de comunicação.

Sem dúvida a internet, hoje a fonte mais fácil e rápida de obter informações sobre qualquer assunto em qualquer parte do mundo. Porém nem todos os sites são de confiança, como por exemplo, o famoso Wikipédia e muitos resultados de sites de procura como o Google, por exemplo.

Na era da velocidade de informações, devemos tomar cuidado com a qualidade das informações.

Por Jean F.Oliveira

Exercício dia 2702/2008

Baseado no texto

Você sabe o que é jornalismo on-line?

Por Bia Mansur


A correria da fábrica

fevereiro 27, 2008

De fato, como é dito no texto “Você sabe o que é jornalismo online?” cada vez mais o mercado de trabalho exige mais e mais especializações, principalmente na área de informática e no jornalismo. O jornalista da web, agora e cada vez mais, tem que conseguir utilizar diversas ferramentas, programas e entender de muito do que antes era específico da área de informática, para realizar o seu trabalho.

Isso faz com que aconteça uma competição cada vez mais acirrada por uma vaga de emprego e uma sobrecarga de trabalho aos que conseguem um. Simultaneamente, com essas ferramentas e informações novas que não param de aparecer acontece uma perda de qualidade no informar em si: com tantas coisas disponíveis e um tempo tão curto para usá-las, checar as informações, redigir e postar para manter os sites sempre atualizados, os jornalistas para não perderem os empregos e atender a essa demanda tão grande acabam não fazendo todas essas etapas e colocando matérias por vezes incompletas ou com dados equivocados, mesmo sem querer ou perceber.

Nesse cenário um dos que mais perdem são os leitores desse conteúdo incompleto que são privados de entender o que verdadeiramente aconteceu acerca de um fato. A solução talvez seja dar uma desacelerada na linha de montagem das notícias e levar mais em consideração a qualidade dos textos que são propagados pelos sites de notícias.

Por Hector Félix (que achou ruim o que escreveu)

Comentário do texto “Você sabe o que é jornalismo online?” de Bia Mansur, publicado no Jornalistas da Web.

Dicas que valem um emprego

fevereiro 27, 2008

A jornalista Bia Mansur, no texto “Você sabe o que é jornalismo online?”, expressa com coerência e conhecimento de causa, o que o mercado de trabalho exige de profissionais de comunicação que queiram se especializar em jornalismo online. Junto a outros comunicadores, ela defende a  idéia de que a especialização é um grande trunfo, pois garante um conhecimento aprofundado e não superficial e generalista do campo em  que se quer atuar.

O jornalismo em tempo real expande-se com a mesma intensidade dos acontecimentos no mundo. Com isso, os envolvidos e empenhados neste meio tecnológico com certeza terão mercado de trabalho garantido.

Por Patrícia Baptista

27/02/2008

Comentário do texto “Você sabe o que é jornalismo online?” de Bia Mansur, publicado no Jornalistas da Web.

Comentário sobre jornalismo online

fevereiro 27, 2008
Participar de diversos fóruns de discussão, Editar áudio digital e fazer podcasts, fazer mapas e modelos 3D com Google Maps, Google Earth e Google SketchUp. É claro que todas estas características são importantes para o profissional que deseje trabalhar com mídia eletrônica, e de uma forma geral, para todos os profissionais de jornalismo, que poderão ter uma maior versatilidade em seu ambiente de trabalho e, em conseqüência disto, terão obviamente mais chances de trabalho no mercado, que já está tão competitivo. Mas será que estas habilidades estão mesmo a disponibilidade de todos?
Será que todo jornalista deve obrigatoriamente, nos dias de hoje, já que vivemos na era da informação, ter todas estas características tão desejadas? E por que alguns jornalistas não se adaptam tão facilmente às mídias digitais? No entanto, estas habilidades não surgem da noite para o dia. É necessário um contato frequente com as mídias eletrônicas e, principalmente, uma certa paixão pelas novas tecnologias, uma curiosidade pelo que é novo.
É muito importante nos dias de hoje que os profissionais de comunicação, e principalmente os de jornalismo, estejam “antenados” com todos os tipos de mídia. A internet por exemplo é onde todos os tipos de informação circulam, e inclusive como cita a jornalista Bia Mansur, há um excesso de informação, no qual fica cada vez mais difícil filtrar o joio do trigo.

Na era da informação em que vivemos torna-se imprecindível um contato mínimo com as novas mídias eletrônicas, mas este profissional tão procurado, especialista e profundo conhecedor de determinados assuntos, este torna-se raro, e talvez por isso seja tão valorizado.

Thiago Benevides (que não tem a mínima habilidade com o meio digital)

Exercício 27-2-2008

Comentário do texto “Você sabe o que é jornalismo online?” de Bia Mansur, publicado no Jornalistas da Web.

O jornalista online

fevereiro 27, 2008

O jornalista online, como o nome já diz, tem de estar ligado com o mundo e muito bem informado. Além de, é claro, ter muito cuidado na filtragem de assuntos que são de interesse da sua pauta ou sua especialização. Tem que ser ágil, escrever bem é um fator muito importante, e para escrever muito bem é necessária a leitura e a compreensão da era digital, para poder servir-se da tecnologia e transformá-la em ferramenta.

Este jornalista nunca deve esquecer que está na era digital, separar o joio do trigo, tanto na apuração de informações, quanto nas novas ferramentas que aparecem todos os dias. Adaptar a notícia à sua linguagem, com agilidade, e dar sempre valor à objetividade, precisão e coesão que na maioria dos casos acabam prejudicados pela ânsia de dar o furo da reportagem antes dos concorrentes, a ética é fundamental mesmo na era digital.

Por Vera Sousa

Exercício 27-2-2008

Comentário do texto “Você sabe o que é jornalismo online?” de Bia Mansur, publicado no Jornalistas da Web.

Na onda da nova tecnologia

fevereiro 27, 2008

A importância da internet na sociedade esta se tornando cada dia maior, conseguimos usufruir dela sem limites. Falar sobre a mídia online é algo bem complexo. O surgimento da tecnologia obrigou que nos adaptássemos a uma era moderna cheio de dúvidas, como foi o caso do jornalismo, que entrou nessa nova era de um jeito bem diferente. O jornalismo online trouxe mais agilidade e praticidade na hora de passar informações do país e do mundo, em tempo real. As pessoas podem ter maior acesso a todos os tipos de informações em apenas um clique, algo surpreendentemente mágico e inovador. O problema é que as pessoas não sabem o quanto essa área cresceu e se tornou ícone, trazendo rivais e competição nas empresas que trabalham com a mídia online. As mídias impressas entraram também nessa nova área, trazendo seus jornais impressos para o computador, com uma forma bem interessante de passar ao leitor maior credibilidade. Ou seja, as pessoas estão cada vez mais sem tempo, muitas vezes, querem ter acesso rápido sobre as notícias com segurança e qualidade. O interessante desse “novo jornalismo” é o crescimento e a facilidade que as informações sobre culturas, notícias sobre o país e o mundo, entre outras, estão invadindo as casas de diversas pessoas, fazendo com que a sociedade fique mais consciente, e tendo, assim, mais maturidade para todos os tipos de assuntos.

Por Ana Carolina Osmak

Exercício 27/02

Comentário do texto “Você sabe o que é jornalismo online?” de Bia Mansur, publicado no Jornalistas da Web.

Credibilidade na internet

fevereiro 27, 2008

No texto o tema abordado é o profissional da comunicação e a internet, eu prefiro comentar agora sobre a internet mais do que sobre os profissionais. A internet hoje é a maior fonte de informação existente, o maior problema é descobrir se essas informações são reais ou apenas fictícias. É muito fácil para um jornalista pesquisar sobre qualquer assunto na internet, a quantidade de páginas existentes é extraordinária, mas onde achar as informações certas?

Navegando em fóruns online de diversos assuntos percebi que principalmente naqueles que envolvem os jovens, a quantidade de informações que você pode obter em um dia é gigantesca. É verdade que muitas dessas são falsas e mal intencionadas. Certo dia, estava navegando em um fórum em um famoso portal da web, quando postaram uma noticia de que o lendário guitarrista Saul Hudson, conhecido como Slash, havia morrido. Como fã, fiquei chocado, vendo o link da notícia em outro famoso site não tive dúvidas de que era verdadeira, mas conversando com amigos, resolvi procurar mais sobre o acontecido. Depois de muito procurar, não achei mais nenhuma informação em nenhum outro site, as evidências de que a notícia era falsa já eram grandes, quando resolvi voltar à página onde estava a notícia. Onde havia um texto falando sobre um acidente aéreo minutos antes agora havia uma foto do Serginho Malandro e a frase: peguei vocês idiotas. Alem da sensação de alívio me veio um sentimento de vergonha, eu acreditei em uma informação da internet, divulguei ela para conhecidos e no final era falsa. Me imaginei fazendo isso como jornalista, e a partir daí comecei a dar menos credibilidade à internet.

Mas o contrário também aconteceu, no começo do ano, navegando no mesmo fórum recebi a noticia de que o ator Heath Ledger havia falecido, como se tratava do mesmo fórum e não havia nem link para a noticia não acreditei. Cerca de 20 minutos depois os sites começaram a divulgar a notícia, fiquei espantado com aquilo, jovens de 14 a 20 e poucos anos, tiveram acesso a informação antes de jornalistas profissionais.

A velocidade com que as informações viajam pela internet é absurda, para um profissional da área falar sobre diversos assuntos, diversas noticias, tendo que conferir, redigir e publicar em cerca de poucos minutos é realmente um trabalho duro. Não deve haver grande condenação quando houver erros, pois é pra isso que ainda existem os jornais de papel e noticiários, se você não tiver pressa e não aceitar erros é melhor continuar com o bom e velho jornal.

Leandro M. Ywata

Exercício 27-2-2008

Comentário do texto “Você sabe o que é jornalismo online?” de Bia Mansur, publicado no Jornalistas da Web.